Dia da Arte #45

“UM SONHO DE LIBERDADE” | 2010 | óleo sobre tela | 90×70 (A dream of freadom)
ARTUR BARROS | ESCRITOR E PINTOR

https://www.facebook.com/pages/Artur-Barros/168989929961736

Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda~Cecília Meireles

(Freedom is a word that the human dream feeds, no one can explain it, and anyone who does not understand it ~ Cecilia Meireles)

Anúncios

Sou Dono das Estrelas – Artur Barros

ab

Sou dono das estrelas que conheço,
De quantas eu já vi no firmamento.
E à noite, quando solto o pensamento,
A todas, todas elas tenho acesso.

É então que a mim próprio me ofereço
O prazer que vislumbro num momento
E garante o integral conhecimento
Do Universo sem fim e sem começo.

Mergulho em profundo meditar,
Recolho ao meu mais antigo lar,
Aquele donde não há mais regresso.

Sou eu, sou toda a terra, todo o mar,
Sou estrela, sou espaço interestelar,
Sou cosmos, sou um nada sem ter preço.

Sou sonho, sou real, sou contingente
Sou morte, o nascer, o navegar.
Olho dentro de mim e estou a olhar
O todo de onde o nada é emanente.

Caminho pela estrada impunemente,
– Um fio de navalha a atravessar.
E a luz que muito ao longe está a brilhar
Inunda este meu ser completamente.

Sou tudo, não sou nada e nada sei,
Apenas pude ver o que olhei:
A estrela mais longínqua do Universo;

A estrela por quem sempre procurei,
Pois meu olhar em mim logo encontrei:
Foi um olhar-saber-sentido-inverso.

~ “SONETOS” | Artur Barros ~https://www.facebook.com/pages/Artur-Barros/168989929961736

In English: I’M OWNER OF STARS

I own the stars that I know,
Of how many I’ve seen in the firmament.
And at night, when I free thought,
To all, all of them I have access.

It is then that I offer myself
The pleasure that I glimpse in a moment
And it ensures full knowledge
Of the universe, without end or beginning.

Deep diving in meditation,
I return to my oldest home
The one where there is no return.

Me, I’m the whole earth, the whole sea,
I’m a star, ‘m interstellar space,
‘m cosmos, ‘m a nothing without a price.

‘m dream, ‘m real, ‘m contingent
I am death, birth, navigate.
I look inside me and I am looking
The whole, from the nothing is immanent.

I walk, unpunished, down the road
– A razor’s edge to cross.
And the light, that far away is shining
Completely fills, this being of mine.

I am everything, I am nothing and know nothing,
Only me, could see what I glanced:
The most distant star in the universe;

The star, that I’ve always looked for,
For my looking into myself, soon found:
It was a glance-know-sense-reverse.

“SONNETS” | by Artur Barros

Dia da Arte #43

DEL GORETE HABLA’S ARTWORKS – http://delgoretehablaworks.blogspot.pt/

She

Del Goretehabla é o nome “artístico” adotado por Gorete Fernandes para divulgar o seu trabalho. O seu percurso é feito de mudanças, evolução e muita dedicação a tudo o que se propõe fazer.
Nasceu em Portugal em 1982, no mês de Julho mais precisamente no dia 28, é de signo Leão (será que influencia os seus trabalhos?). É transmontana, de perto da Galícia, da terra das bruxas e dos barrosões – com tudo o que isso implica,… é de Montalegre.
Aos 4 anos de idade emigra para França e torna-se imigrante lá… Faz toda a sua escolaridade e construção de personalidade lá… Ganha alicerces muito fortes pela experiência de vida familiar, social e escolar. Constrói grandes amizades e guarda grande referências “de la France” e da sua pequena vila “Bougival”. Passa por todo o tipo de realidades, aprende a ser tolerante e tem muito pouco preconceito… Liga mais ao ser e à sua essência individual. No entanto, não deixa de ser preconceituosa em relação a pormenores que quase ninguém mais dá valor. Despreza o egoísmo e a hipocrisia.

Resgatado

Aos 14 anos, desperta a sua veia artística de uma forma particular… Momentos da sua vida vão marcá-la e um deles foi o facto de começar a ajudar uma senhora que trabalhava numa loja de flores, sua vizinha e amiga desde sempre… Aí desenvolve a capacidade criativa- aprende a fazer arranjos de flores de todo o tipo e participa em vários concursos, começa a decorar a loja conforme as estações e datas festivas do ano, também conviveu sempre com crianças e foi babysitter em várias casa e numa delas existia um pintor conhecido e sua mulher actriz com quem aprendeu com certeza muito desta coisa das “Artes”. O seu sonho na altura era ser jornalista e conseguiu um estagio de uma semana no “Le Monde” – Aqui também conhece pessoas extraordinárias que marcaram a sua experiência. O que pauta talvez a sua maneira de encarar o mundo e a sua veia criativa são a soma de experiências que foi tendo e as pessoas excepcionais que passaram pela sua vida e ela pela vida deles.

Origens

No ano em que concluiu o 12º ano de escolaridade e os seus estudos gerais em literatura após 9 exames no espaço de um mês, entra na Sorbonne mas decide por razões pessoais e muito pensadas, mudar de rumo. Assim, aos 17 anos, quase, quase 18, decide dar um grande passo na sua vida, emigrar de frança e imigrar para Portugal (ou será o contrario?). De francesa com raízes transmontanas, passa a ser transmontana com uma história de vida em França. Estuda 2 semanas (após os exames em França) e faz os exames nacionais a Português e a Francês. Entra na universidade de viana do castelo mas quer mesmo é viver em Braga. Assim, continua os seus estudos em Portugal, passa por várias peripécias e vários lugares (estudou em viana do castelo e divide-se entre Montalegre e o Minho) até se estabilizar em Braga. Muitas saudades de França mas sem nenhum arrependimento, Braga é ao seu tamanho –  a cidade, as pessoas, o contexto e o ambiente – tudo desperta em si uma reação que muitas vezes passa para o papel de uma forma ou de outra. Nesta fase começa com uma brincadeira a desenhar a lápis uma fotografia do seu irmão… Nunca se tinha atrevido antes a desenhar ninguém! Ficou surpreendia com a parecença da fotografia com o seu desenho!! Mas não era bem esse o caminho… Mais tarde e sempre como algo inesperado… Entrou com um amigo numa loja do chinês e tinha lá umas molduras com um barco desenhado (fotocopia para deitar fora) e pensou que o desenho do seu irmão ficaria ótimo naquela moldura… entretanto, uma ideia sem nexo surgiu-lhe e sugeriu ao seu amigo que desenhassem algo cada um na folha com a imagem do barco – começaram ambos a desenhar coisas sem nexo que no final fizeram todo o sentido. E foi assim que nasceu a sua paixão pelo desenho metafórico e inesperado – começa sem saber o que desenhar e no final todos os elementos se encaixam na sua história de vida. Foi uma experiência fantástica que repetiu depois sozinha e que continua até hoje.

“Two Different Worlds”

Os anos seguintes foram prósperos em criações deste género e a vida continuava também. Em 2007 concluiu a licenciatura em ensino de português e francês e estagiou em Vila Praia de âncora numa escola do 2,3º ciclo. Grande experiência de vida por lá. Em 2008 a pós-graduação em ciências da educação – educação especial. Foi sendo tradutora em várias empresas (ainda o é hoje) e trabalhou também para uma empresa ligada às formações na área da qualidade e foi rececionista e responsável pelo anfiteatro no INL-instituto de nano tecnologia em braga. Lecionou dois anos letivos em várias escolinhas primárias de vila do Conde. Dando ensino individualizado e educativo a vários alunos com necessidades educativas especiais. Foi também uma época muito profícua em experiências humanas e profissionais.
No final destes dois anos, iniciou uma luta para poder concorrer de novo ao ensino, nunca deixando de se auto formar, frequentando várias formações dentro da área de que mais gosta: o ensino de crianças, jovens e adultos – vocação que foi sendo descoberta ao longo dos anos. No entanto, não tem sido muito feliz nessa procura mas nunca baixou as armas. Entrou numa fase de procura de trabalho, lutou, lutou e lutou até que foi chamada para trabalhar no call center de assistência telefónica para a França, Bélgica, Luxemburgo Suíça e Canadá no que respeita a produtos da marca Apple.
Desde março 2013 que fala francês o dia todo, escreve em inglês, aprende muito no âmbito da informática e especificamente nas áreas de software e hardware Apple, lidando (fator mais importante) com todo o tipo de pessoas durante o dia. A resistência ao stress é um fator crucial nesta etapa da sua vida e o controlo de si próprio muitas vezes.
Assim, o que lhe interessa acima de tudo é desafiar as suas capacidades, estar numa aprendizagem constante e partilhar experiências e desafios com quem mais gosta. A vida não é mesmo isso? Um desafio constante?
É assim que encara a vida e por isso a escrita, o desenho e a pintura surgem sempre presentes no seu percurso. Funcionam como um elixir de ideias, um suprir das dificuldades e um retratar do seu percurso e das suas emoções. Imprime um toque otimista na sua visão, com a crença que todos temos o dom de querer ser pessoas melhores e de fazer os outros um pouco mais felizes.

No entanto, Del Goretehabla é somente uma forma de divulgação do seu trabalho, existe muito mais para além do nome.
Descubra aqui um pouco do seu mundo através dos seus trabalhos manuais de desenho e pintura que pretende continuar sempre ao longo da sua vida.
A sua última ideia é fazer desenhos personalizados para cada pessoa. A pessoa conta um pouco a sua história de vida num pequeno texto e ela transmite para o papel a história de cada um. Parece uma ideia ótima que já lhe está a dar que fazer.

https://fontedeinspiracao.wordpress.com/2013/10/23/dia-da-arte-38/